terça-feira, 2 de março de 2010

Bravo com chapéu no clássico, Chicão detona Neymar: 'Pipoqueiro e mimado'

Zagueiro do Timão reclama do lance, indica parque de diversões para as gracinhas do atacante e diz que ele precisa de títulos para ser craque



O clima entre santistas e corintianos não deve ser nada amigável, pelo menos, até o fim do Campeonato Paulista. Pivô de uma das polêmicas do clássico do último domingo, na Vila Belmiro, Chicão apimentou ainda mais a guerra de palavras que seguiu depois da partida. O alvo preferido? Claro, Neymar. Irritado com o comportamento do garoto dentro e fora de campo, o zagueiro do Timão não poupou críticas ao que ele e seus companheiros classificaram como “firulas”, questionou o talento do xodó do Peixe e até o chamou de pipoqueiro e mimado.

Em entrevista por telefone ao GLOBOESPORTE.COM, Chicão não escondeu que sua maior bronca recai sobre o chapéu que Neymar lhe aplicou, aos 21 minutos do segundo tempo, quando a partida já estava paralisada. Ele admite que chegou a ameaçar o atacante, mas garante que jamais o machucaria. Entretanto, cobra mais seriedade do adversário e promete que o Timão estará na briga pelo título para, quem sabe, responder dentro de campo.

O chapéu

"Achei uma babaquice o que ele fez. Sabe aquele menino que está começando e se empolga com o futebol? Não tinha necessidade de fazer aquilo. Durante o jogo, ele não deu caneta e nem chapéu. Mas, quando a bola parou, quis fazer gracinha para a torcida. Espero que ele aprenda muita coisa. É preciso pensar nas atitudes. O Neymar poderia ter arrumado uma briga comigo, com outros jogadores e depois com os torcedores. Ele disse que fez aquilo porque deu vontade. Em mim também deu vontade de fazer muita coisa com ele depois do lance, mas não fiz. Futebol arte é quando a bola está rolando. Ele não fez futebol arte durante o jogo. O que ele fez foi brincar. Se ele quer brincar, é melhor

Nenhum comentário:

Postar um comentário