quarta-feira, 28 de julho de 2010

Pai de Richarlyson e Alecsandro, Lela diz que primeiro duelo será decisivo

Ele garante que não vai torcer por nenhum time na partida de hoje. No retrospecto, o são-paulino leva ampla vantagem sobre o irmão colorado

Para uma pessoa em especial, o duelo desta noite, entre Internacional e São Paulo, válido pela semifinal da Taça Libertadores da América, será diferente. Campeão brasileiro pelo Coritiba em 1985, o ex-jogador Lela tem os dois filhos envolvidos na partida que será realizada no Beira-Rio: o atacante colorado Alecsandro e o volante são-paulino Richarlyson. E para quem ele vai torcer? Assista ao vídeo ao lado.

- Como pai, eu fico em cima do muro. Se fosse pelo Campeonato Brasileiro, eu torceria pelo Alecsandro, já que o Richarlyson já conquistou três. Mas, na Libertadores, que vença o melhor. É uma bênção para qualquer pai poder ver os filhos envolvidos em um jogo tão importante - afirmou Lela, que mora em Bauru, no interior paulista.

Lela acredita que a primeira partida poderá decidir quem será o finalista da Libertadores.

- Se o São Paulo empatar ou vencer, dificilmente perde a vaga porque no Morumbi é praticamente imbatível em Libertadores e com o apoio do seu torcedor. Para o Inter, o segredo é primeiro não tomar gols e depois buscar a vitória. Acredito que será uma grande partida e não existe favorito. Sem dúvida, o momento do Inter é melhor, afinal ganhou os últimos quatro jogos. Mas o São Paulo sabe exatamente como se joga uma Libertadores e virá muito forte - ressaltou o ex-jogador.

Richarlyson leva ampla vantagem no retrospecto

Competição Resultado
Brasileirão 2003 Fortaleza 1 x 0 Vitória
Série B 2004 Santo André 2 x 0 Sport
Brasileirão 2007 Cruzeiro 1 x 2 São Paulo
Brasileirão 2007 São Paulo 1 x 0 Cruzeiro
Brasileirão 2009 Internacional 2 x 2 São Paulo
Brasileirão 2009 São Paulo 1 x 0 Internacional
Brasileirão 2010 Internacional 0 x 2 São Paulo
No "mano a mano", Richarlyson leva ampla vantagem. Nunca perdeu para o irmão. Até agora, foram sete jogos disputados, com seis vitórias do são-paulino e um empate. No último jogo, válido pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro, Richarlyson venceu o irmão por 2 a 0, com Hernanes e Fernandão marcando os gols da equipe do Morumbi (veja ao lado a lista completa dos confrontos).

Normalmente, eles costumam fazer apostas para arrecadar alimentos para uma instituição de caridade. Mas, desta vez, ficou apenas um trato: se um dos dois for campeão da Libertadores e garantir presença no Mundial de Clubes da Fifa, nos Emirados Arábes, o outro irmão terá de viajar para ficar na torcida.

- Como o clima está tenso, eles preferiram não apostar nada. Mas ficou esse combinado para o fim do ano - concluiu o pai.

Os dois irmãos também gostam de se provocar quando o assunto é um duelo em família. Mais novo, Richarlyson diz que sempre torce para Alecsandro ir bem nos jogos. Mas, claro, não neste.

- Independentemente de quem for à final, a família Felisbino estará representada na decisão da Libertadores. Estou sempre torcendo para o meu irmão jogar bem e fazer gols, mas, dessa vez, prefiro que a esposa dele e o filho dele chorem do que chorem meu pai e minha mãe - disse o são-paulino.

Do outro lado, Alecsandro brinca e até faz "ameaça" aos pais.

- Sempre tem aquela preferência pelo mais novo, mas se eles ficarem em casa torcendo pelo caçula, nas férias do fim de ano eu vou ficar sozinho na minha casa e não vou ficar com eles lá em Bauru, não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário